quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Pizicato

Beliscam o violino

Pr'ele ver que não está sonhando.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Só faltava nevar

Convecionaram que conversas sobre o clima pertencem ao repertório de quem não tem assunto.

Antigamente essa era uma falácia que me ofendia apenas no plano moral. Agora causa feridas também profissionalmente.

São três - não mais - os temas dignos de ocupar uma mente : futebol(aquele com os pés, não com as mãos), pirataria (aquela com navios, não com filmes) e clima.

O que me dá todo o direito de louvar, sem constrangimento, a chuva que amanheceu sobre a cidade hoje de manhã.

O final do ano em Brasília é uma época bonita. Reúne as vantagens do verão tropical e do inverno escandinavo:

-Chove, mas não faz frio.

-O céu fica cinza. A grama, verde.

-Somos todos acometidos por impulsos artísticos - as cigarras, no entanto, é quem declamam.

Fica-se bem. Não há melhor painel para emoldurar os lamentos. Nem cenário mais adequado para os dias felizes.

Chove, há o Natal, as esperanças do Ano-Novo e o horário de verão (que tem o mérito de deixar o crepúsculo -ente sagrado - mais perto da meia-noite - outro ente sagrado).

Só faltava nevar.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

A Causa do Rombo

Mais uma bonita tarde de ócio no trabalho se descortina.

Legal, porque vem somar às igualmente bonitas e não menos ociosas manhãs que passo na faculdade.

Faz bem ter uma rotina equilibrada. Dá padrão.

Considerando - com o perdão do gerúndio - que o governo federal paga tanto meus estudos quanto meu salário, acho que tenho um mecenas excêntrico. (Se os artistas da Renascença precisavam pintar madonas como contrapartida ao dinheiro neles investido, tudo o que eu faço é "O Furor").

É um blog honesto, claro, mas talvez não valha o patrocínio. Segundo meu amigo Sapão, - que além de gourmet é contador - eu custo, mensalmente, cerca de 50 mil reais aos cofres públicos.

É por minha causa que não podem abrir mão da CPMF.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Ética cinéfila

Quando um estranho chama, você:

a) Retruca o chamado

b) Dá o grito

c) Come água para chocolate

Mais Uma da Série Epitáfios

"Saindo desta e indo para uma melhor".

Gerúndio.
* ?
+ 1/10/2007

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Pra não dizer que não falei das flores

Será que os monges de Mianmar, em seus protestos contra a Ditadura, entoam Vandré?

Quando os sonhos viram realidade

"Levante de monges desafia poderoso e tirano governo militar"

E eu pensava que para ler esse tipo de notícia era necessário ter nascido oito séculos atrás.

Obrigado, Mianmar, antiga Birmânia.

P.S.: Corre à boca miúda que alguns dos monges rebeldes figuram no coral que canta o hino de " O Furor", logo ali, à direita no seu monitor.

Foi-se

Alonguei a lua-de-mel o máximo que pude. Agora, quando chega o momento, é difícil evitar as lágrimas.

A partir de hoje, D de Devaneio não é mais a primeira postagem, o cartão de visitas, d´O Furor.

Deixa a vida para entrar pra história.

Dura despedida. Dói.