sábado, 10 de janeiro de 2009

A filosofia do 'senta e rema'.

Vou abrir os trabalhos do ano compartilhando um ensinamento aqui no site. Palavras de luz e sabedoria que vão mudar o seu modo de encarar a vida. É a minha mui humilde contribuição para 2009.

Conta a lenda que um dia um jovem rapaz chegou para a sua primeira aula de caiaque. Ele estava, naturalmente, nervoso, como todos nós costumamos ficar quando vamos fazer alguma coisa pela primeira vez. Afligiam a cabeça do mancebo questões do tipo: será que vou dar conta? eu posso virar o barco! eu posso me afogar! eu posso perder a direção e bater no caiaque de outro aluno! ou pior, perder a direção e bater no caiaque de uma aluna! etc, etc, etc.

Foi nesse estado mental que ele se apresentou ao professor. O mestre, que era um chinês (logo se verá que não por acaso), empurrou tranquilamente o caiaque na direção do rapaz. Este, mal disfarçando a aflição, perguntou:

- Como eu faço?

Ao que o professor respondeu:

- Senta e rema.

Uma luz iluminou a mente do jovem, de dentro para fora e também de fora para dentro. De repente, tudo o que parecia nebuloso e difuso em sua vida tornou-se claro como a água sob o casco do seu caiaque. O impossível já não assustava. E o monstro, que era viver, poderia ser vencido. Dali em diante, o rapaz, que transformou o 'Senta e Rema' no seu Pai Nosso, nunca mais se perguntou: "o que eu faço agora?"

E você, leitor, continua perdendo tempo com obstáculos criados pela mente, amarras impostas por você mesmo? Aceite de presente o 'Senta e Rema". Não precisa agradecer. Verá como ele se aplica a todas as situações da vida.

- Mãe, estou grávida.

- Senta e rema. ( O que significa o seguinte: então aguarde nove meses e evite os bailes funk. Até lá, procure comprar um berço e não se esqueça do pré-natal. Fazer o quê?)

Ou ainda:

- Não-sei-quem não me ama.

- Senta e rema.

Ou:

- Preciso tomar jeito na vida.

- Senta e Rema.

E finalmente:

- Será que.. Não sei se... E se... Talvez seja melhor....

- Senta e rema, dirá o sábio.

O 'Senta e Rema' é a carta de alforria do cidadão moderno. Ou melhor, carta de euforia. A vida encarada sem complicações, culpas, ou medos.

Agora voltando ao rapaz da aula de caiaque. Naquele dia ele entrou na água repleto de confiança, cheio de poder e auto-estima. Nada poderia detê-lo, nem mesmo o próprio Netuno e suas artimanhas marinhas. Por isso mesmo ele ficou inconsolável quando virou o caiaque logo no primeiro minuto. E mais ainda quando não conseguiu desvirá-lo e teve que testemunhar, lentamente, o naufrágio da embarcação. Os demais alunos, que singravam o lago em plena harmonia com seus caiaques, como se formassem uma unidade com o equipamento, centauros das águas, olhavam com desprezo para aquela vergonha náutica.

Derrotado, humilhado, ofendido no orgulho, o jovem voltou à margem, onde encontrou o professor chinês colhendo peônias. Coberto de tristeza, perguntou ao mestre:

- E agora?!

Já sabemos qual foi a resposta.


P.S.: uma observação linguística. Na verdade o mestre chinês dizia "Senta e Lema", mas para não prejudicar o entendimento global de tão sutil filosofia preferimos adotar a grafia em português original. Nada tendo esse fato a ver com o novo acordo ortográfico. N. do T.